Queda de cabelo na infância

Queda de cabelo na infância

Nossos cabelos caem e são substituído constantemente. Entretanto, muitas pessoas enfrentam uma queda demasiada que, se não for tratada, pode levar à calvície, um problema que atinge não só os adultos, mas também crianças.

Já nas primeiras semanas de vida, o bebê pode ter queda de cabelos difusa ou localizada. É um quadro transitório que não precisa de tratamento. Segundo Ademir Jr, especialista em tricologia (medicina capilar), as causas de queda de cabelo infantil, ou seja, em pessoas de até 12 anos, são inúmeras. A maior parte dos casos, felizmente, já tem tratamento eficaz.

O incômodo é maior em crianças acima de 8 anos, pois mexe com sua vaidade e até mesmo com a auto-estima. Nas situações mais graves, elas podem até ser atingidas por estados depressivos. Quando surge a primeira indicação de queda excessiva de cabelo, é aconselhável levar a criança a um dermatologista.

Segundo Ademir Jr, os possíveis motivos que ocasionam a queda de cabelo infantil estão relacionados a distúrbios de comportamento, infecções, ansiedade e estresse.O tratamento varia de acordo com o quadro do paciente e a medicação a ser ministrada depende do motivo que leva ao problema. “Psicoterapia e uso de reguladores de humor podem ser necessários quando a criança está ansiosa ou irritada. Tratar infecções também quando estas foram as causas da queda capilar. Uso de vitaminas para o crescimento dos cabelos e loções tônicas para ajudar no desenvolvimento dos fios e complementam o tratamento”, explica o médico.

Leia também: queda de cabelo masculino

O caso mais grave de queda de cabelo é a tricotilomania, o hábito de puxar os fios. O especialista afirma que esse mau costume pode levar o paciente à calvície. “Se não medicada de forma rápida e efetiva, o paciente pode ter rarefação na área acometida, por conta da perda dos folículos de cabelos que foram arrancados”, afirma.

Na alopecia areata (perda de cabelo localizada) o risco é a perda de áreas extensas de cabelo com dificuldade de recuperação dos fios nestes locais. O tratamento é feito à base do uso de vitaminas para o crescimento dos cabelos e loções tônicas para ajudar no desenvolvimento dos fios.

O médico alerta que os pais devem ficar atentos nas modificações na quantidade de cabelos das crianças e no aparecimento de áreas calvas no couro cabeludo. “Ao apresentar qualquer sintoma de perda localizada ou áreas calvas é necessário procurar um dermatologista”, ressalta, complementando que se o tratamento for iniciado precocemente, o comprometimento será menor e os resultados ser mais efetivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *